18 de set de 2013



Será que fui assaltada e me levaram meu bem maior.
As vezes no silêncio da noite, penso como tudo aconteceu,
Foi um assalto, sem armas, brigas ou pancadas,
Foi tudo tão rápido,
Tudo pareceu fácil, para o ladrão,
Parecia que ele ensaio,
Pois conhecia meus pontos fracos,
É muitas vezes pensei que ninguém queria me roubar,
Ainda mais roubar meu coração.

2 comentários:

  1. Estou alegre por encontrar blogs como o seu, ao ler algumas coisas,
    reparei que tem aqui um bom blog, feito com carinho,
    Posso dizer que gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns,
    decerto que virei aqui mais vezes.
    Sou António Batalha.
    Que lhe deseja muitas felicidade e saúde em toda a sua casa.
    PS.Se desejar visite O Peregrino E Servo, e se o desejar
    siga, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde querida,
    Tão tão distante...
    Hoje que vi seu comentário lá no blog...

    Leio seu texto agora, aqui nesse post que eu comento.
    Releio de novo... e só posso sentir que, de todo jeito, vc está inspirada...
    Não tentei ver ou ir mais além do que dessa forma, ao te ler.

    Beijio. e beijos...

    ResponderExcluir

Obrigada pela atenção.